Informativo Semanal
Informativo Diário
AviSite
PecSite
OvoSite
Legislação
Busca Avançada
Cadastre-se
Contato
Anuncie
Patrocinadores
Sexta-feira, 21/01/2022
Siga-nos:
Informativo Semanal Informativo Diário
NOTÍCIAS
Carne suína: retomada das vendas à Rússia é positiva diante de incertezas sobre China


Segundo a Safras & Mercado, setor de carne suína enfrenta um momento de incerteza com relação ao potencial de compras por parte da China

Campinas, SP, 26/11/2021 | - -

Categoria: Exportação

A confirmação da habilitação de mais nove plantas de carne suína do Brasil aptas a vender ao mercado russo veio em um bom momento, segundo a avaliação do analista da Safras & Mercado, Allan Maia. “O setor de carne suína enfrenta um momento de incerteza com relação ao potencial de compras por parte da China para os próximos meses”, ressalta.

Maia disse que em outubro foi evidenciado o segundo pior embarque brasileiro de carne suína ao mercado chinês no ano, ficando em 37,353 mil toneladas. “Este pode ser um dado pontual, mas deixa o setor em cautela no que tange aos dados a serem registrados nos próximos meses”, destaca.

O analista afirma que é difícil precisar que volumes passarão a ser exportados para a Rússia, muito embora a carne suína brasileira tenha como pontos favoráveis o fato de ser bastante atrativa em termos de preços e de contar com uma alta qualidade. “Antes do entrave relacionado à ractopamina em 2017, a Rússia era o principal destino da carne suína brasileira. Naquele ano, o Brasil exportou 257,5 mil toneladas de carne suína para o mercado russo”, disse.

Agora, somadas às quatro plantas já habilitadas anteriormente, o Brasil passa a contar com treze unidades frigoríficas aptas a vender carne suína para a Rússia. “Entre janeiro e outubro deste ano, o Brasil exportou 3,827 mil toneladas de carne suína ao mercado russo. Desse total, apenas em outubro foram embarcadas 2,181 mil toneladas”, disse.

Maia comenta ainda que a Rússia sofre com alta de preços e representantes do setor no país alegam que a produção está sendo impactada pela peste suína africana, mas não tão severamente como o ocorrido na China em 2018/2019. “De qualquer modo, há um déficit de oferta no mercado russo, o que favoreceu a reabertura das unidades brasileiras”, sinaliza.

Projeções iniciais da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) mostram que a partir da reabilitação das nove plantas aptas a vender carne suína ao mercado Russo, o Brasil pode conseguir uma receita de até US$ 200 milhões.


Fonte: Canal Rural
Autor: Agência Safras




COMENTÁRIOS



NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS



















NOTÍCIAS MAIS LIDAS
5 dias
30 dias
NOSSOS PARCEIROS



Clique acima para acessar o leitor digital ou abaixo para Download do PDF